Jovem aprendiz tem direito ao auxílio emergencial?

Jovem Aprendiz tem direito ao auxílio emergencial?

 

Sabemos que  pandemia causada pelo coronavírus, trouxe mudanças significativas em diversas áreas. Algumas precisaram se adaptar muito mais rápido que outras, por exemplo, a área da saúde e alimentação com as novas regras sanitárias, mas até mesmo os setores não listados como “essenciais” (alimentação, transporte, saúde e etc…), sofreram alterações como a forma de comunicação, o local de trabalho, a maneira como entrega produtos entregues, como estão contratando novas pessoas e qual a carga-horária do colaboradores. 

Para seguir com a rotina empresarial, não prejudicando a economia, as empresas se adaptam ao home office ou a jornada reduzida de trabalho, buscando continuar com as tarefas, minimizando a exposição do funcionário, o máximo possível. 

Por não serem modificações planejadas, mudanças assim, causam impactos financeiros, não só nas empresas, mas nos recebimentos dos trabalhores, principalmente os informais. 

Com esse cenário, o governo federal, por meio da LEI Nº 13.982, DE 2 DE ABRIL DE 2020, criou um programa de auxílio financeiro, especial por conta da pandemia e quarentena, chamado “auxílio emergencial”. 

A inscrição é feita pelo site ou aplicativo, que você pode conferir neste link e após a análise dos requisitos, se aprovado, o cidadão terá direito a três parcelas de R$600,00 depositados em sua conta.

Muitas dúvidas surgiram sobre quem teria acesso a essa ajuda, pois como citamos anteriormente, existem alguns requisitos básicos que diferenciam quem é aprovado na análise ou não.

 

Quem pode receber o Auxilio Emergencial?


Este benefício é destinado aos trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais (MEI) e desempregados.

 

Qual o valor?

 

São três parcelas no valor de R$ 600,00 cada, pagas uma por mês, totalizando três meses, para até duas pessoas da mesma família. 

Sabemos que o Jovem Aprendiz, tem uma forma de contratação diferenciada. Se você não sabe quais são as diferenças em um contrato de jovem aprendiz, aprenda neste link.

Essa é a questão do nosso tema central…

 

Jovem Aprendiz tem direito ao auxílio emergencial?

 

A Lei 10.097/2000, conhecida como a lei da aprendizagem, foi desenvolvida para combater o trabalho infantil e ajudar na inserção de jovens ao mercado de trabalho. Esse modelo de contratação CLT, garante ao jovem de 14 a 24 anos, direitos trabalhistas semelhantes aos tradicionais oferecidos, como carteira de trabalho assinada, férias, 13º salário, carga-horária compatível ao respeito de sua formação escolar, focando em não prejudicar o desenvolvimento acadêmico do jovem. 

Por possuírem Contrato de Aprendizagem e Registro na Carteira de Trabalho, os aprendizes não tem direito ao auxílio emergencial, pois não se enquadram nas categorias aceitas pela lei. 

 

Quais são os requisitos para receber o auxílio emergencial?

 

  • Ter mais de 18 anos;
  • Não ter emprego formal;
  • Não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família;
  • Ter renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00);
  • Não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70;
  • Estar desempregado ou exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI) ou ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) ou ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

 

Se você é um Jovem Aprendiz, não tem a possibilidade de receber o auxílio, mas se você está em busca de vagas de emprego e se enquadra em todos os requisitos, pode ter chances de ser aprovado.

Se deseja buscar por vagas de Aprendiz ou Estagiário, cadastre-se em nosso portal 🙂

Aqui tem uma lista de empresas com vagas abertas durante a pandemia.  

Read More

6 dicas de como ir bem em uma entrevista online

Você sabe como se preparar para uma entrevista online?

 

A pandemia causada pelo Coronavírus, intensificou os contatos onlines e praticamente paralisou os encontros físicos, mas o que fazer quando está procurando emprego nesta época, sem conseguir participar de processos seletivos presenciais?! Essa é uma questão muito recorrente e a solução encontrada pelas empresas são os processos seletivos online. Não é uma alternativa tão nova, mas certamente, por conta da situação atual, se tornou muito mais popular, transformando do dia para noite, a forma como muitas empresas contratam e se relacionam com seus colaboradores.

Após o envio do currículo ou o preenchimento de dados pessoais em uma plataforma, a parte mais importante de um processo seletivo são as entrevistas, neste caso, entrevistas online. A única diferença é a falta do contato físico, mas essa forma diferente de conhecer o recrutador, necessita de importância e preparo assim como os encontros presenciais.

Para te ajudar a se destacar em uma entrevista online, separamos dicas valiosas que podem garantir a sua vaga de emprego.

 

7 dicas para ir bem em entrevistas online

 

1 – Teste sua conexão com a internet

 

Receita simples para uma entrevista online

 

  • 1 vaga 
  • 1 recrutador com dispositivo capaz de participar de uma reunião online
  • 1 candidato com dispositivo capaz de participar de uma reunião online
  • 2 BOAS conexões com a internet
  • 1 par de meias da sorte (essa é brincadeira, mas se tiver, é o momento para usar)

 

Parece bobeira, mas muita gente esquece de testar a internet antes de uma reunião importante, o que pode atrapalhar sua desenvoltura, pois podem surgir delays, falhas de conexão, imagem ou áudio cortado exatamente no momento de responder uma pergunta importante ou falar algo sobre você.

Falhas assim, podem tirar a concentração do recrutador e do candidato, dificultando que a conversa flua normalmente e atrapalhando quem precisa de uma vaga.

 

Para tentar evitar problemas, faça um teste antes da entrevista, ligue para um amigo, veja se sua conexão suporta, conecte o cabo de rede ao computador, pois isso melhora a conexão, mas se mesmo assim não der certo, por testar antes, você tem tempo de ir em outro lugar que tenha uma boa conexão, como uma biblioteca, por exemplo.

 

2 – Escolha o local

 

Demos a dica de procurar um lugar com boa internet, mas é claro que a internet não é o único requisito para que seja um bom lugar. Um café por exemplo, se for muito barulhento, não indicamos, mas se for algo mais tranquilo, com uma boa iluminação, sem muito barulho e distrações, pode ser uma boa escolha.

É importante que o foco da reunião seja você, então lugares com música alta, pessoas falando, passando ou coisas aleatórias acontecendo, podem distrair você e o recrutador e isso é tudo o que você não quer, então tente encontrar um local calmo, que você não vá ser interrompido e que seja confortável.

 

Importante: se você estiver em casa, com outras pessoas, avisa que irá participar de uma entrevista e peça para que não seja interrompido, pois queremos evitar distrações. 

 

3 – Teste o equipamento 

 

Lembra da receita para uma entrevista online?! Esse é o momento de falarmos sobre o “dispositivo que possa realizar uma reunião online”, mais conhecido como computadores, tablets e celulares. 

 

Carregar a bateria, testar se a internet está conectada, se você já possui o aplicativo necessário para a reunião, se a câmera e o áudio ficam bons, se é necessário o uso de um fone de ouvido e onde esse dispositivo vai ficar apoiado, são coisas básicas que você precisa se atentar antes de uma entrevista.

 

4 – Pense na apresentação

 

Não, não está tudo bem fazer uma entrevista de pijama só por estar em casa!

Pense em como se arrumaria para uma entrevista presencial e faça o mesmo. Use uma camisa mais séria, esteja bem alinhado, cabelo arrumado, barba se for homem, maquiagem simples se for mulher.

 

Sobre o cenário, teste se a iluminação vai estar de acordo, mostrando bem o seu rosto, escolha qual será o seu cenário, tirando itens desnecessários, desligando televisões ou qualquer coisa que possa atrapalhar, focando sempre em manter um fundo neutro.

 

Tente recriar um ambiente profissional e calmo. 

 

5 – Se desligue do exterior

 

Já pensou no meio de uma entrevista começar a assistir vídeos do TikTok? Não! Primeiro por que não tem cabimento, seria um desrespeito com quem está te entrevistando, segundo porque se você tiver mais que 23 anos, provavelmente nem sabe o que é TikTok.

Assim como em uma entrevista presencial, você deve demonstrar seu interesse na vaga e olhar redes sociais, atender celular ou falar com outras pessoas durante uma reunião não condiz com alguém interessado.

 

Deixe o celular em modo silencioso, se estiver em um local com mais pessoas, avise que não pode ser interrompido por um período, se desconecte do exterior e foque apenas na entrevista, fazendo perguntas, respondendo os questionamentos do recrutador e buscando mostrar o por que merece aquela vaga.

 

6 – Cuidado com o delay

 

Mesmo tomando todos os cuidados, alguns atrasos na comunicação podem acontecer e são naturais, se estiver em uma situação assim, seja cauteloso em não atropelar a fala da outra pessoa, esperando o outro terminar de falar para iniciar.

Pense que um recrutador não gostaria de ser interrompido durante uma entrevista, causa má impressão e parece que o que ele está dizendo ou perguntando, não é algo importante, o contrário do que você pretende mostrar, então foque em conversar com calma e esperar o tempo do outro.

 

Se deseja aprender o que dizer em uma entrevista, clique aqui.

 

Agora que já sabe como fazer uma entrevista online, o que acha de se cadastrar em nossa plataforma e participar de processos seletivos para estágio e aprendizagem, de forma online e totalmente gratuita 🙂

Read More

Como o Home Office é Importante no Distanciamento Social?

O que é distanciamento social?

 

Com a chegada no novo vírus, as palavras “distanciamento social” e “isolamento social” estão sendo usadas pelo Ministério da Saúde e profissionais da área, mas você sabe o que significam esses termos?

 

De acordo com João Gabardo, secretário do Ministério da Saúde, 86% dos casos infectados pelo COVID-19, o novo vírus que se espalha pelo mundo, é assintomático, ou seja, não demonstra os sintomas registrados. Pensando pelo lado racional, parece uma boa notícia que a maioria dos casos não tenha os sintomas, mas isso se torna perigoso para a identificação dos infectados e propagação do vírus, pois sem saber quem está doente, não conseguimos fazer a quarentena especificamente para estes, o que nos leva ao tema de distanciamento social. 

 

Entendendo isso, a forma mais eficaz de reduzir o risco é manter distância das outras pessoas. O Ministério da Saúde, recomenda que seja mantido o espaço de 2 metros entre as pessoas, pois diferente de outros vírus, o coronavírus não é transmitido pelo ar, mas sim pelas gotículas expelidas por um indivíduo infectado, no espirro, por exemplo.

 

Especialistas afirmam que cada pessoa infectada, infecta duas ou três, e a conta continua seguindo, fazendo a doença se proliferar muito rapidamente nos países que se encontra, deixando muitos doentes e mortos por onde passa, principalmente aqueles que estão no grupo de risco, por possuírem doenças pré existentes, serem idosos ou terem complicações respiratórias.  

 

Reduzindo o número de pessoas circulando, com o isolamento social, garantimos que quem realmente precisa sair, pois seu trabalho não permite uma adaptação em home office, por exemplo, possa fazer isso de forma mais segura, com os ambientes mais vazios, possibilitando o distanciamento no transporte, por exemplo. Algo que seria impossível se todos estivessem circulando normalmente.

 

Isolamento Social

 

Diferente do distanciamento, esta expressão é indicada para quem já tem os sintomas do vírus, pois neste caso, o Ministério da saúde indica que não exista contato algum com outras pessoas ou objetos que outras pessoas podem usar, pois o risco de contaminação é real. No momento atual, é recomendado toda pessoa que tenha qualquer sintoma de gripe, fique em isolamento e só procure uma unidade médica, caso tenha dificuldades para respirar, nos casos mais leves, o cuidado deve ser semelhante a um contágio de gripe normal.

 

Dicas de Distanciamento Social

 

  • Neste período, não frequente academias, shows, museus, teatros, cinemas, baladas e todos os lugares que você possa ter contato com muitas pessoas;
  • Não saia para comer em restaurantes, dê preferência ao delivery;
  • Evite o transporte coletivo, principalmente nos horários de pico;
  • Não vá ao cabelereiro, manicure, barbeiro e outros estabelecimentos de beleza, pois estes profissionais não conseguem manter a distancia segura para eles, por conta dos procedimentos;
  • Não faça visitas a pessoas que estão no grupo de risco;
  • Lave bem as mãos com água e sabão ou com alcool em gel 70%;
  • Limpe objetos como celular, maçanetas, carteira, chaves e afins;
  • Evite tocar nos olhos, boca e nariz, enquanto não estiver com as mãos devidamente higienizadas;
  • Use seu tempo para fazer cursos, aprender coisas novas online e ter algum tempo com as pessoas que estão em distanciamento com você (se este for o seu caso);

Dentro dessas dicas, o que acha de tentar adaptar seu trabalho para home office? Sua empresa já mencionou essa possibilidade? Se sim, você sabe o que é?

 

Qual a importância do home office para o distanciamento social?

 

Sabemos que não são todas as profissões e atividades que permitem o home office, por exemplo: médicos, enfermeiros e socorristas, que realmente estão se arriscando todos os dias para ajudar quem precisa lutar contra esta doença. As profissões que permitem a migração do trabalho para home office, ajudam não a evitar a propagação do vírus, diminuindo o número de pessoas circulando e dando mais segurança para quem necessariamente precisa sair de casa, como garante que sua empresa não pare e que a economia continue a girar da forma esperada.

Muita gente confunde home office com dias de folga, mas nada disso! O conceito de home office é que você possa trabalhar de qualquer lugar, inclusive da sua casa. Como muitas empresas nunca tiveram a política de home office antes da pandemia, muitas pessoas estão com dúvidas em como funciona, mas vamos esclarecer algumas delas.

 

O que é home office?

 

Primeiramente, é necessário esclarecer que além do espaço de trabalho, nada deve mudar radicalmente. Você vai precisar de uma estrutura simples, como mesa e cadeira, além de uma boa conexão com internet e um local que você consiga realizar suas tarefas.

 

Basicamente, você vai ter um escritório portátil, podendo trabalhar de onde quiser, desde que tenha uma boa conexão de internet e uma estrutura mínima.

Home office, não significa necessariamente trabalhar em casa, você pode optar por um Coworking, um outro escritório, um café, uma biblioteca, enfim, onde você  consiga melhor se concentrar e se sentir bem.

 

Vou ter um horário?

Bom, essa pergunta depende muito da empresa, pois existem companhias que prezam pelo horário seguido por todos, outras focam em horas trabalhadas ou resultados, então vai depender muito do estilo de empresa que você trabalha. O mais importante, é estar online em reuniões e conseguir cumprir seus compromissos profissionais.

Lembrando, que por não ter hora para sair, pois já está em casa, muitas pessoas ultrapassam o saudável das horas trabalhadas, então tente manter uma rotina, com hora para acordar, iniciar, almoçar e desligar o computador, assim como faria se estivesse presencialmente.

 

Dicas

 

Alinhamento de Expectativas


Tenha reuniões diárias sobre o andamento do trabalho, conversas claras e alinhe suas expectativas e de seus superiores, pois a falta de convivência presencial, pode deixar algumas coisas mal entendidas, por isso, a comunicação neste momento é tão importante.

 

Whatsapp não é ferramenta de trabalho!!!

 

Sim, muitas pessoas usam o whatsapp para vendas, negociações e etc… Mas o recomendado, é que não misturem os números empresariais e pessoais, para que nos momentos de folga, o funcionário tenha realmente folga e não fique resolvendo problemas pelo número pessoal. 

 

Existem várias ferramentas de comunicação interessantes para o trabalho, como: Slack e Skype. 

 

Pijama e Netflix

 

É tentador aposentar as roupas mais sérias, usar aquele pijama favorito e deixar uma série passando, mas deixe isso para o momento finalizar o dia de trabalho, pois situações assim podem tirar o seu foco e deixar seu dia mais improdutivo. 

 

Essas são algumas ferramentas que podem te ajudar neste período:
  • Trello (Gestão de tarefas)
  • Skype (Comunicação e reuniões)
  • Slack (Comunicação)
  • Google Meet (Videoconferencias)
  • Agenda do Google (Marcar reuniões e tarefas)

É um momento novo para todos nós, mas também é a oportunidade para aprendermos mais sobre este estilo de trabalho, pois o mundo globalizado, a cada dia é menos presencial. Se dúvidas surgirem no caminho, deixe nos comentários e aprenderemos juntos!

Se deseja contratar um jovem aprendiz ou estagiário, entre em nosso portal.

Se deseja se candidatar a vagas de jovem aprendiz ou estagiário, se inscreva neste link.

Read More

O que é Corona Virus?

Você sabe o que é o Corona Virus? Uma pandemia que vem deixando vítimas pelo globo, também conhecida como “COVID-19” espalha dúvidas por onde passa. Para auxiliar nossos jovens, focamos em produzir conteúdos como este nos próximos dias, utilizando uma comunicação mais leve e direta.

 

O que é o Corona Virus?

 

Um antigo vírus, pouco conhecido no Brasil, mas muito mutável e de fácil proliferação está mudando nosso mundo. Deixando marcas profundas por onde passa, hospitais lotados, ruas, bares, escolas e cidades vazias, além das diversas complicações pulmonares nos infectados, que em quase todas as vezes, são tristes e irreparáveis, nos dando em troca, poucas ou nenhuma das respostas que realmente queríamos ter.

O nome dele é COVID-19, também conhecido como Coronavírus, que teve seu início na China, mais especificamente na cidade de Wuha e que recebeu este nome, por sua forma ser parecida com uma coroa. 

 

Mesmo com todas as tentativas chinesas em evitar a propagação do vírus, principalmente em escala mundial, infelizmente, ele se espalhou e agora corre em nosso país, crescendo o número de infectados todos os dias.

Muitas das informações, foram criadas após fake news e achismos, o que atrapalha no controle do vírus, pois neste momento, sem uma vacina ou um remédio específico para sua cura, nada é mais valioso para nós do que a informação. 


Onde o vírus nasceu?

 

O primeiro caso registrado de corona foi no dia em Wuhan, na China. Em menos de 10 dias, a China construiu um hospital de 1.000 leitos, que pode não parecer tão grande, mas se compararmos ao maior hospital da América da Latina, o hospital das clínicas, localizado em SP, foram necessários 10 anos para finalizar a obra de 2.500 leitos.


Como ele foi descoberto?

 

Por mais que muita gente, nunca tenha ouvido falar em coronavírus, este não é um vírus novo, sua primeira aparição foi em 1960, causando infecções respiratórias em animais e humanos, mas sendo confundido muitas vezes com uma gripe ou um resfriado leve. Os especialistas comentam que muitas pessoas são infectadas com as variações mais comuns da família CoV, mas como dificilmente apresentam complicações maiores, passam despercebidas.

 

Como é transmitido?

 

Essa é uma das grandes dúvidas, pois para conter, precisamos entender como ocorre a transmissão e por que se espalha com tanta facilidade. Até o momento, os pesquisadores afirmam que gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão; contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos, são as formas confirmadas de contágio.

 

Quantas horas o vírus sobrevive em superfícies?


Alguns estudos sugerem que o vírus pode sobreviver em certas superfícies por horas ou até mesmo dias. Se você acha que uma superfície pode estar infectada, limpe-a com desinfetante para matar o vírus e proteja-se. Lave suas mãos com água e sabão ou use álcool gel, e evite tocar seus olhos, boca e nariz.

 

Quais são os sintomas?


Não tão diferente dos outros coronavírus humanos comuns, mas mais letal, esta doença causa infecções respiratórias de curta duração. Os sintomas mais comuns podem envolver tosse, dor de garganta, febre e dificuldade para respirar, mas também podem surgir cansaço, dores articulares, congestão nasal, dor de garganta e diarreia. Esses sintomas são normalmente leves e progridem. Cerca de 80% dos casos se recupera sem tratamento especial. No entanto, 1 em cada 6 casos têm grave falta de ar. Idosos, pessoas com diabetes, pressão alta e outros problemas cardiovasculares são mais suscetíveis a desenvolver sintomas sérios…. 

 

Os sintomas sempres vão aparecer?

 

Não, existem casos de infecções assintomáticas, em que mesmo não sentindo nenhum dos sintomas, a pessoa está doente e pode transmitir o vírus para outras pessoas.

 

Grupo de risco no Corona Vírus

 

Existe o chamado “grupo de risco”, que são as pessoas que sofrem mais com essa doença, possuindo uma taxa de mortalidade muito maior que o restante da população.

As pessoas acima dos 65 anos são os casos mais preocupantes, em que a taxa de mortalidade cresce exponencialmente. Por isso, os idosos devem evitar ao máximo aglomerações e exposições a possibilidade da infecção.

Lembrando: Pessoas mais novas, tem menos sintomas e quase nenhuma morte por esse vírus, então se puder, ajude as pessoas ao seu redor do grupo de risco, indo a supermercados (quando extremamente necessário), farmácias e etc… Usando todas as precauções para não se infectar e evitando o contato com eles, para não levar o vírus.

Além dos idosos, estas precauções devem ser adotadas para pessoas com doenças cardiovasculares, diabetes, pressão alta, doenças respiratórias crônicas e câncer.

 

O que fazer se eu sentir os sintomas?

 

Para começar, se você não estiver com dificuldade respiratória NÃO VÁ AO HOSPITAL. Pode parecer assustador ler isso, mas é a verdade, como ainda não existe um tratamento ou cura, ir ao hospital só cria a possibilidade de infectar outras pessoas. Então a OMS indica que ao sentir os sintomas, você entre em quarentena, não tenha contato com outra pessoas, mas se precisar por algum motivo muito forte, que use máscara, não toque a área de rosto, evite o contato físico com outras pessoas a todo custo, higienize os objetos que tiver contato e se recupere com repouso e consumo de bastante água.

Vá ao hospital, apenas nos casos de dificuldade para respirar ou febre muito alta.

 

Algumas medidas podem aliviar os sintomas, como o uso de medicamento para dor e febre (antitérmicos e analgésicos), uso de umidificador no quarto ou tomar banho quente para auxiliar no alívio da dor de garganta e tosse.

 

Por quanto tempo a doença pode ficar incubada?

 

A doença pode ficar incubada até duas semanas após o contato com o vírus. O período médio de incubação é de 5 dias, com intervalo que pode chegar até a 14 dias.

 

Onde busco ajuda?

 

O sistema público de saúde brasileira, também conhecido como SUS, desenvolveu um aplicativo para informar a população sobre o corona, você pode baixar neste link.

Nós criamos uma página para reunir informações relevantes, como indicações de vídeos e pdf, deixando a informação mais organizada. Acesse nesse link.

 

Como me proteger?

 

O Ministério da Saúde orienta alguns cuidados básicos para reduzir o risco de contrair ou transmitir o novo coronavírus.

 

Medidas simples como:

 

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool, como álcool em gel.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo, ou com o antebraço.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
  • Evitar abraços (Nada de abraços quentinho por um tempo, Olaf).

Devo ficar em casa?

 

Ok, nós sabemos que uma hora o tédio vai chegar, mas mesmo com todas as precauções, podemos lembrar que alguns casos, tem poucos ou nenhum sintomas, então a pessoa pode passar pela infecção sem saber que está doente, mas mesmo assim, espalhar os vírus para outras pessoas, inclusive para pessoas que estão no grupo de risco. Por isso, neste momento é tão importante evitar sair, evitar o contato com outras pessoas e convencer os seus avós, seus pais e aqueles que você conhece e que estão no grupo de risco a saírem de casa, pois podem ter pessoas que não estão saudáveis.

O mais importante neste momento, é cuidarmos de nós e dos nossos familiares, estudarmos em fontes seguras sobre o assunto e seguirmos as regras sobre higiene (a música infantil “lava a outra, lava uma”, se torna oficialmente o novo hino mundial).
Ficar em casa pode ser legal nos primeiros dias, mas vai chegar um momento que vai cansar, quando isso acontecer, procure um curso online, aprenda um novo instrumento, faça um tiktok com a família, jogue um jogo online com seus amigos, maratone uma série nova, enfim, cuide da sua saúde mental, essa situação não é eterna, com o tempo as coisas vão voltar ao normal, mas precisamos passar por ela com segurança e responsabilidade, ajudando a não piorar o que já não está bom.

Se tiver alguma dúvida sobre o assunto, nos envie pelas redes sociais e se quiser utilizar esse tempo para se candidatar à vagas para jovem aprendiz ou estagiário de forma 100% online, entre em nossa plataforma.

Read More